Fale conosco!

Tire suas dúvidas e solicite seu orçamento (:

Deixe uma mensagem:

Nosso contato

Nosso escritório

R. Orlando Zardo, 583 - Sala 2
Centro, Arroio Trinta - SC
89590-000

Receba as principais notícias sobre energia solar!

Perguntas Frequentes

O sistema de geração de energia solar é modulável. O tamanho do seu sistema vai depender do seu consumo de energia elétrica, da área disponível, da localização e orientação do local de instalação, bem como do valor que você pretende gastar.

Não, o sistema de geração de energia solar fotovoltaica é extremamente silencioso.

O sistema de energia solar é, normalmente, conectado no seu quadro de luz. Desta forma a energia que os módulos produzem é usada na casa toda (para tudo o que estiver conectado na tomada de sua casa ou empresa). 

Não. O sistema solar fotovoltaico funciona através da luz do sol. Você produz energia durante o dia e se gerar mais do que está consumindo, esta energia vai para a rede da distribuidora e vira créditos que serão usados para abater o seu consumo da noite.

Não, as distribuidoras de energia cobram um valor mínimo para você estar conectado na rede, bem como a taxa de iluminação pública. Mas você consegue reduzir em até 95% o valor da sua fatura de energia elétrica.

A REN 414/2010 da ANEEL define, para consumidores do grupo B, o custo de disponibilidade com base no tipo de fornecimento ofertado à unidade consumidora, sendo a taxa mínima calculada com a seguinte base:

Sistema monofásico = 30 kWh /mês

Sistema bifásico = 50 kWh /mês

Sistema trifásico = 100 kWh /mês.

Já para o grupo A, o pagamento mínimo é equivalente à demanda contratada por este consumidor.

Não, de acordo com a Resolução 482/12 da Aneel se você produzir mais energia do que consumiu esta energia excedente torna-se crédito para você e esses créditos tem validade de 60 meses contando do mês que foram criados. 

Para sistemas on grid a resposta é não. Se o sistema estiver conectado na rede elétrica da distribuidora, o inversor fotovoltaico irá desligar e isolar o sistema fotovoltaico por uma questão de segurança (Desta forma você evita causar um acidente ou estragar o seu sistema).

Porém há os casos de instalação off grid, em que o sistema de energia solar é conectado a um banco de baterias, e essa baterias alimentarão o imóvel na falta de energia da concessionária (esta é uma solução com um custo alto).

Não, pelo contrário. A manutenção anual limita-se a uma limpeza das placas (quando for necessário) com água. Se chover a chuva fará este trabalho para você, caso fique muito tempo sem chuva (mais de 6 meses) e você observar que a placa está realmente suja, então o ideal é passar um pano nos painéis.

Sim! A superfície protetora das placas modernas, projetadas de acordo com normas internacionais, são capazes de resistir a pedras de granizos em velocidades de até 50 mph. Entretanto, vale lembrar que a velocidade terminal máxima de uma pedra de granizo de 1 centímetro é de, no máximo, 20 mph. Então o sistema está mais que duplamente garantido!

Além disso, o material externo que envolve a protege a placa é projetado e combinado quimicamente para suportar impactos mecânicos de diversas modalidades, não somente chuva de granizo, sem danificar as células receptoras. O nível de resistência das placas solares é, dessa forma, altíssimo, o que explica sua longa durabilidade — que pode chegar a até 40 anos — e sua baixa necessidade de manutenção.

Entre 4 e 9 anos, de acordo com a região e com o local que o sistema será instalado. Com estes constantes aumentos na sua conta de luz muito provavelmente o seu investimento se pagará em ainda menos tempo.

Caso não haja espaço ou viabilidade de utilização do telhado, pode ser construída uma estrutura no solo para a instalação dos módulos fotovoltaicos.

Sim. Os módulos fotovoltaicos são dispositivos que convertem a irradiação solar em eletricidade, e o sombreamento, mesmo que parcial, ocorre quando parte dessa irradiação está sendo bloqueada por algum objeto ou nuvem, ou seja, a quantidade de irradiação solar que incide no módulo é menor, o que diminui a energia produzida pelo equipamento.

Sim, a claridade dos dias nublados é capaz de gerar energia, porém esta produção é bem pequena se comparada à de um dia limpo. Quando dimensionamos o sistema, utilizamos a média anual de radiação solar e isso já considera os dias claros, nublados e chuvosos. Como trabalhamos com regime de compensação de energia, não importa se em um dia a produção for baixa, pois há dias claros com produção alta e, no final, a média de radiação é que será mais importante. Nos dias nublados, a energia é garantida pela rede pública.

Não. Em 90% dos casos não é preciso mudar nada no imóvel pois os equipamentos são fabricados especialmente para se adaptar a qualquer tipo de telhado ou cobertura, facilitando a instalação. A parte elétrica também é bem simples e na maioria das vezes não requer nenhuma alteração na rede do imóvel. 

Fonte: Portal Solar (2021)